sexta-feira, 5 de maio de 2017

Significado de Namastê.....



Namastê é o cumprimento em sânscrito que literalmente significa "curvo-me perante a ti" e é a forma mais digna de cumprimento de um ser humano para outro. O gesto expressa um grande sentimento de respeito, invoca a percepção de que todos indivíduos compartilham da mesma essência, da mesma energia, do mesmo universo, portanto o termo e a ação possuem uma força pacificadora muito intensa. ....Nós os wicanos e bruxos usamos muito esse termo!


O que é Namastê:

Namastê é um cumprimento e saudação típico do sul da Ásia, que significa “eu saúdo a você”, na tradução para o português.

Este termo utiliza-se principalmente na Índia e no Nepal por hindus, sikhs, jainistas e budistas. Nas culturas indianas e nepalesas, a palavra é dita no início de uma comunicação e faz-se um gesto com as mãos dobradas, sem ser necessário falar algo.

A forma mais formal do namastê é conhecida como namaskar ou namaskaara, no entanto, todas as formas possuem um significado de extremo respeito.

Etimologicamente, namastê é uma palavra originária do sânscrito, que literalmente significa "curvo-me perante a ti" e é a forma mais digna de cumprimento de um ser humano para outro.

Em um sentido mais amplo, o namastê significa “o Deus que habita no meu coração, saúda o Deus que habita no seu coração”.

O gesto expressa um grande sentimento de respeito, invoca a percepção de que todos indivíduos compartilham da mesma essência, da mesma energia, do mesmo universo, portanto o termo e a ação possuem uma força pacificadora muito intensa.

Namastê também é muito utilizado na ioga, é algo que se diz ao instrutor, para demonstrar que o praticante é um criado.

Como saudação, namastê pode ser dito com as mãos juntas em frente ao tórax e com uma ligeira curvatura, para indicar profundo respeito, pode-se colocar as mãos em frente a testa, e no caso de reverência a um deus ou santidade, coloca-se a mão completamente acima da cabeça.

Em algumas partes da Índia (por exemplo, a área onde se fala a língua punjabe), namastê é usado não somente para cumprimentar Hindus, mas para todo mundo. 


sábado, 22 de abril de 2017

Hoje 22/04/2017 Dia da terra...Deusa Gaia...GAIA, A MÃE TERRA..

"Nós não herdamos a terra dos nossos antepassados, pedimos emprestada aos nossos filhos"
(Provérbio Índio)

Hoje (22 de Abril) comemora-se o Dia Mundial da TERRA.
O Dia da TERRA foi criado em 1970 quando o Senador norte-americano Gaylord Nelson convocou o primeiro protesto nacional contra a poluição. É festejado a 22 de Abril.

O Planeta TERRA está doente e é preciso que todos, no quotidiano, cuidemos dela. A TERRA é a nossa casa! E o que tem feito por ela?

Aqui fica um poema sobre o sofrimento da TERRA.

Cortar
Cortaram uma árvore
E a terra chorou
Cortaram outra árvore
E a terra chorou
E tantas árvores mais ...
E a terra chorou
Chorar tanto também cansa
Quem pode enxugar as lágrimas
Da terra cansada?
Nem as mãos de uma criança...

Matilde Rosa Araújo - As Fadas Verdes

quinta-feira, 29 de setembro de 2016


Deusa Circe, a Feiticeira.




Dizem os mitos e lendas gregas, que em alguma das montanhas da Europa, vive Circe, a Deusa Rainha das Feiticeiras, num lindo castelo protegido por leões e armadilhas mágicas. Poderosa e sedutora, Circe protege suas seguidoras e as feiticeiras que vivem em sua morada e parece não se preocupar muito com as disputas e problemas dos olímpicos, tanto é, que na mitologia são pequenas suas participações, mas citações a respeito dessa divindade são encontradas com maior frequência.
É comumente vista com uma trança cumprida que separa suas madeixas castanhas com tons avermelhados, onde traz certos fundamentos mágicos. Dessa forma, a maioria de suas sacerdotisas também usavam de tranças nos longos cabelos. Como a Deusa, suas representantes também não se misturavam com a sociedade da época e tão pouco eram vistas, diferente das bacantes (sacerdotisas de Dionísio) e das Pitonisas (sacerdotisas de Apolo). As filhas de Circe preferiam se dedicar aos mistérios da feitiçaria.

Circe rege os pós mágicos, filtros, poções e artes de sedução e envenenamentos. Sua VARINHA mágica transformava homens em animais, como aconteceu com os homens de Odisseu. Esses ao voltar da Guerra de Tróia, na fuga da fúria de Poseidon, pois o Deus pretendia exterminá-los por terem matado um de seus filhos, acabaram por parar, acidentalmente, no reino da feiticeira.
Com a exceção de Odisseu, que havia sido presenteado por Hermes com ervas de proteção, a feiticeira transformou todos em porcos. Mas Odisseu, também, não conseguiu fugir de seus encantos, pois apesar de ter conseguido que a Deusa trouxesse seus amigos de volta, apaixonou-se por ela e viveram juntos alguns anos de sua vida.
Circe é uma das Deusas mais misteriosas e sua energia, que é profunda e densa, é uma mistura de Afrodite e Hécate, a qual está intimamente ligada. Tão ligada, que muitos a confundiam com a própria senhora da magia, dos mistérios e da lua. Como age diretamente em cima de mudanças e grandes transformações, Circe é associada à lua nova.
Um ENCANTAMENTO já conhecido, mas com um toque de Circe:

Uma Escada dos Desejos



Você irá precisar de:

- um longo pedaço de barbante da cor correspondente à sua necessidade;
- nove sementes, castanhas, pedaços de madeira, flores secas ou ramos de ERVAS magicamente associados à sua necessidade;

- uma taça de vinho;

- uma VELA roxa.

Chame por Circe:

“Oh Deusa grega das diversas encantarias, te chamo neste instante para minha magia! Deusa das tranças, dos pós mágicos e da transformação, eu te invoco e peço sua atenção. Com o poder dos Céus, da TERRA e dos Mares, peço seu auxílio na escada dos desejos, pois a realização deles é o que almejo. Saudações e seja bem vinda, Circe, Deusa Feiticeira!”

Lembro que este é um modelo básico de invocação, você pode e deve complementá-lo com palavras do seu coração. Circe apoia a sinceridade e não se esqueça de falar de maneira intensa e gerando poder.

Em seguida, comece a trançar o pedaço de barbante, chamando pela presença da Deusa. Quando você sentir a presença dela bem forte, apanhe um pouco de ERVA ou do objeto o qual irá utilizar representando seu primeiro pedido e dê um nó ao seu redor com o barbante, tensionando-o e visualizando firmemente sua necessidade.

Repita o processo mais oito vezes até que o barbante tenha nove nós, cada qual contendo um pedaço de madeira ou uma flor. A seguir, leve o barbante ao AR livre, erga-o aos céus e diga:
“Escada de nós, escada do desejo, eu a confeccionei para atrair a mim as necessidades que possuo. Este é o meu desejo, que se faça o que almejo. Assim seja!”

Agradeça a presença de Circe e deixe uma taça de vinho e uma VELA roxa acesa em homenagem a ela em seu altar. Pendure a escada dos desejos num local importante da casa, ou enrole-a ao redor de um castiçal com uma VELA de cor apropriada. As escadas dos desejos não só são eficazes, como também altamente decorativas.


fonte do textowitchblue    Foto do google.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

A Evocação da Deusa

Tu que sussurras gentilmente ainda assim fortemente,
Tu a quem minha alma tanto busca,
Pela maioria dos homens tão raramente vista
Entretanto tu sempre reinas, como virgem, mãe, rainha,
Através do véu tu passas com orgulho
Enquanto eu aceno para que tu estejas agora ao meu lado,
Cerridwen!

Tu que sabes, tu que escondes
Tu que dás à luz, tu que sentes,
Pois tu és a deusa, e mãe para tudo.
Ores agora, venha enquanto eu clamo,
Agora através da neblina eu ouço tua voz
E te evoco mais graciosa deusa por escolha,
Cerridwen!

Tu que sofres enquanto todos os homens morrem
Faças com a vítima da mentira de amor dela,
Pois tu és a deusa, e anciã de desespero,
Para nosso fim contigo, devemos compartilhar,
Eu sinto tua paixão, e sinto tua presença
Eu desejo ser um com tua essência vital,
Cerridwen!

Eu rezo a ti dançarina de eterna alegria
Dês a mim teu maravilhoso beijo.
Deixes agora que tua luz, amor e poder
Descendam, tornem-se um, comigo neste momento,
Pois tu és a criadora do céu e da terra
Para minha alma e espírito tu deste a luz,
Cerridwen!

                                                           (Guia Prático da Wicca - Lady Sabrina)

Assim somos nós as Bruxas!
O fogo que me queima é o mesmo do intercrescimento o iniciático

Assim somos nós Bruxas, Bruxos, Sacerdotisas e Guardiões, desta Velha Religião!
"A imaginação é a chave da liberdade para essa prisão chamada realidade."
Thiago Aécio de Sousa
Magia é Navegar pelos Mistérios Fantásticos onde o sobrenatural desafia a nossa compreensão e a ciência. O mundo é como um barco perdido no meio de um enorme oceano, cheio de ilhas secretas e enigmas a serem desvendados.
Existem algumas situações em nossa existência em que nossa única alternativa é a aceitação!
Sim somos "senhoras do nosso destino", mas toda ação ativa gera uma reação e as vezes a reação não é exatamente o que esperamos ...
Ser chamado é ser destinado - destinado a cumprir um propósito essencial e significativo; destinado a empregar seu poder e práticas a sua religiãol. Mas diferentemente da "Sorte", o Destino requer sua participação consciente e voluntária. Contudo, cada dia representa uma outra chance de se esconder e ficar inativo; de negar seu chamado sagrado ou evitar as responsabilidades de sua missão. E, do mesmo modo, cada momento é decisivo - outra oportunidade de fazer a magia acontecer, de espalhar amor e realizar coisas boas... de cumprir nosso destino e viver plenamente nossa crença mágica.
Ser bruxa, bruxo, sacerdotisa e guardião é muito mais do que acender velas , incensos ou fazer rituais , ser o que somos , é um sacerdócio individual , é entregar-se de corpo e alma a essência é vibrar em conjunto com as forças da natureza e respeita-la em todas as suas manifestações. Pertencer a Velha Religião é reconhecer o seu próprio valor , é respeitar o próximo e seu livre arbítrio. É compreender que todos os nossos atos e gestos estão regidos pela lei triplice , portanto todo o bem ou mal que fizermos (principalmente usando a magia) retornarão para nós em triplo.
Somos pessoas muito estranhas , somos pessoas de coração desarmado, sem ódios e preconceitos baratos. Falamos com bichos e plantas, dançamos na chuva e nos alegramos com o sol. Cultuamos a Deusa e lhe fazemos celebrações. Falamos de amor com os olhos iluminados, como pares de lua cheia. Somos pessoas que erra e reconhece, cai e se levanta com a mesma energia dos grandes mares. Apanhamos e assimilamos os golpes, tirando lição dos erros e fazendo redentoras nossas lágrimas e sofrimentos. Amamos nossa missão sagrada e dividimos amor com a mesma serenidade com que dividimos o pão. Seguimos em busca de nossos sonhos, independente das raízes cravadas no caminho. Vemos o passado como referencial, o presente como luz e o futuro como meta.
Na Religião Antiga, "todos os atos de amor e prazer são rituais'. A sexualidade, como expressão direta da força vital, é percebida como sendo luminosa e sagrada. Ela pode se expressar livremente, desde que o princípio que a guie seja o amor.
Eu também honro as estações da vida dentro de minha jornada de vida- começos, crescimento, frutificação, colheitas, fins, descansos e recomeços. A Vida é um Círculo com
muitos ciclos. Com todo Fim vem um novo Começo. Dentro da Morte há a promessa de Renascimento.
Na minha Religião, a Terra é relacionada com o corpo físico e com as sensações.
A Água é relacionada com a alma e com as emoções e sentimentos.
O ar é relacionado com a mente e aos pensamentos e idéias.
O fogo é relacionado com o espírito e associado à consciência, a claridade, a inspirarão.
Redescobrir a Deusa ou o Deus interior é um processo mágico que nos ensina e nos mostra que essa divindade sempre esteve em nós , mas diante das dificuldades do dia-a-dia não conseguimos enxergar essa força que habita no íntimo de nosso ser e redescobrir e reconectar com esta força não é um processo complicado , ao contrário disto, é mais simples do que podemos imaginar. Não podemos negar o poder e a magia que existem nos rituais e nos elementos. A verdadeira e a maior magia é aquela aonde nós nos entregamos de corpo , mente e alma a uma verdade , a essa essência que existe em nós.

Quando nos damos a oportunidade de olhar para nós mesmos, nos damos a chance de conhecer as nossas reais motivações , os nossos desejos , os nossos medos e também percebemos a forma com que as nossas atitudes muitas vezes mascaram tudo aquilo que temos medo de assumir.
"Celebre-me sob a luz da lua cheia, nos campos, nas florestas, nos bosques e cavernas. Dancem e cantem em minha homenagem e os mistérios da arte eu lhes revelarei. O meu poder será o seu poder, a minha força será a sua força, o meu conhecimento será o seu conhecimento, pois eu sou a sua Mãe e vocês são meus filhos. Venham minhas crianças, retornem a mim no amor, pois é o amor a única lei, amor em liberdade e harmonia."
Assim somos nós Bruxas, Bruxos, Sacerdotisas e Guardiões, desta Velha Religião.
Fonte:3fasesdalua
Livro das Sombras ou Bos! Foto do google!

O Livro das Sombras é, essencialmente, o diário de um Bruxo, um diário mágico.
A origem desse Livro, remonta ao tempo das perseguições. Proibidas de compartilhar oralmente seus conhecimentos, as(os) Bruxas(os) da Idade Média, escreviam seus conhecimentos e feitiços, em um Livro que ficava escondido, por isso o termo "das Sombras", pela menção de que o Livro deveria ficar oculto a qualquer preço, sob seu dono ter contra si, provas incontestáveis de Bruxaria. Na Idade Média, esses Livros continham essencialmente Poções, Feitiços, Encantamentos, Filtros, enfim,

operações de magia não trazendo nada sobre a pessoa que o escreveu, além de talvez, seu Nome Mágico, por motivos que você pode imaginar.
Todas as tradições de ordem iniciática cobram de seus alunos a existência de um diário onde sejam anotados todos os procedimentos mágicos, fatos interessantes do dia-a-dia, aprimoramentos e coisas pertinentes à disciplina mágica.

Na tradição Wicca, esses dois aspectos foram fundidos num só recurso que recebe basicamente dois nomes, ou é chamado de Grimoire que quer dizer Livro de Encantamentos como na Idade Média, ou Livro das Sombras ( Book of Shadows - BoS) como o Livro que Gardner escreveu e que é usado nas tradiçoes Gardneriana e Alexandrina.

Um Livro das Sombras funciona como um Grande Diário. Nele o aprendiz e mesmo o(a) Bruxo(a) experiente anota os fatos de sua vida, referentes direta ou indiretamente com a Bruxaria, copia rituais, relata acontecimentos, escreve feitiços ou mesmo poesias. Ele serve como um Grande Avaliador do desenvolvimento mágico. Olhando as primeiras páginas, um Bruxo, pode avaliar a quanto evoluiu no estudo e prática da Arte, comparar suas opiniões atuais com as que tinha na época e assim fazer um grande balanço da sua vida na Magia.

Além disso, o hábito de escrever no seu Livro das Sombras, lhe traz a prática de um aspecto muito favorável - A DISCIPLINA - .Essa disciplina na qual você se obriga a escrever seja todo dia, seja 3 vezes por semana, ou seja apenas quando acontecer algo relevante, lhe confere um campo favorável no avanço do Treinamento Mágico, na medida que você tem, ( por vontade própria, lembre-se ) de escrever, você acaba tendo que fazer alguma coisa, assim o Livro funciona., como catalisador do processo de treinamento.

Se você pretende seguir o Caminho da Bruxaria, não deixe para depois a confecção do seu Bos, ele pode ser um instrumento valiosíssimo no futuro. Não faça como algumas pessoas, que só agora estão organizando o seu, e têm que se lembrarem de quase tudo o que aconteceu desde que começaram a se interessar pela Bruxaria, assim sendo, muita coisa pode ter sido esquecida, a ordem dos acontecimentos fica comprometida, e algumas coisas sutis do dia-adia, são sepultadas definitivamente no esquecimento...

Você pode começar, escrevendo um pequeno texto, explicando à você mesmo, o porque do seu interesse pela Bruxaria... Talvez, um dias, após você ter morrido, ou quando ficar com mais idade, alguém poderá ler o seu Livro e se interessar pelo assunto. ( Até que este parágrafo, é uma boa sugestão para o inicio de um filme sobre Bruxos(as) ehehehe!

Você pode separar o seu BoS em 3 seções, ou mesmo ter 3 Livros. Um Grimoire, onde você anotará só os Feitiços e Exercícios, outro com Poemas e anotações pessoais, do dia-a-dia, que efetivamente corresponderá ao seu Livro das Sombras, e outro ainda, com conhecimento de Herbalismo, Cristaloterapia, Incensoterapia, e assim por diante. Fica mais fácil de você ir direto ao que deseja consultar ou lembrar. Além disso você fará um Compendium de conhecimento sobre magia, na medida que terá à sua disposição um material confiável de consulta, avaliado por você mesmo, e condizente com o seu modo de fazer as coisas, ou seja personalizado.

Tradicionalmente, não se permite, que ninguém que não seja da Arte, toque no seu Livro, mas permite que outros Bruxos(as) leiam as partes que você autorizar, ou mesmo que copiem Encantos e Feitiços, para o seu próprio BoS, mas no entanto o Livro não pode ser emprestado. Ele é materialmente e intimamente seu, e de mais ninguém. Pessoas que passam mesma experiências podem descrevê-las de diversas formas, o que é natural e saudável.

Outro motivo para não deixar qualquer pessoa ler o seu Livro, é que ele reflete todo o nosso Mundo Mágico, o Mundo da Bruxaria, e algumas coisas podem chocar as pessoas incautas, ou mesmo fazer com que você caia em descrédito junto à comunidade ou a seus familiares, prejudicando a sua vida "normal".

Tradicionalmente, o Livro deveria ser um caderno normal, preto, escrito a mão e com folhas numeradas. Mas pode ser uma agenda, um fichário, o importante é que você o faça.
Alguns acham que ele deve ser escrito a mão, assim a energia do Livro seria mais trabalhada enquanto Livro Mágico, no entanto isso deve ficar à seu critério.
Disciplina é liberdade!!!

Um Livro das Sombras, muito conhecido como BOS (do inglês Book Of Shadows), é um diário usado por praticantes de magia ritual para registrar rituais, feitiços, e seus resultados, bem como outras informações mágicas. Tanto praticantes individuais quanto covens mantêm esse tipo de Livro.
Nele são inscritos invocações, receitas de poções, métodos de realização de rituais, contos sobre a mitologia, enfim. Tudo relacionado à Wicca e à Bruxaria.

Em algumas Tradições Wiccanas (por exemplo a Gardneriana), o Livro das Sombras é um texto contendo os rituais, práticas e a sabedoria daquela Tradição. É normalmente copiado à mão pelo praticante, a partir da cópia de seu(sua) iniciador(a). O material da Tradição não pode ser mudado, apesar de que algumas adições possam ser feitas. Alguns Wiccanos mantêm ainda um Livro das Sombras pessoal, além daquele de sua Tradição. O Livro das Sombras recebe esse nome porque seu conteúdo deve ser mantido a sombras das realidades desse mundo. É tradicionalmente de capa preta com um pentagrama prata ou dourado na capa, mas outras cores como verde, marrom e azul marinho podem ser utilizadas e outros símbolos cravados.

Em alguns casos, o Livro das Sombras pessoal de um praticante é um arquivo de computador, seja em disco seja na forma de um sítio web, mas a maioria dos praticantes de magia não aceita tal prática, considerando que o livro das sombras deve fazer parte do altar, tendo também seu valor mágico.
Muitos praticantes da Wicca se perguntam: Como posso fazer meu próprio Livro das Sombras? Basta um caderno/ livro/ fichário com muitas folhas. A capa pode ser enfeitada com símbolos mágicos e dentro do livro, podem ser guardados ervas e plantas protetoras. O livro assim como todos os outros instrumentos mágicos devem ser consagrados, assim protegendo o mesmo de olhares curiosos


Como fazer feitiços..E o que é feitiço!

O Feitiço... O feitiço é uma fórmula falada ou escrita que é usada em um ato de magia com a intenção de causar ou influenciar um determinado curso dos acontecimentos. A crença e o uso de feitiços são universais e têm sido uma parte integrante das práticas religiosas desde os tempos antigos. Os métodos variam de acordo com a cultura, mas todo o uso baseia-se na magia ritual.
Os feitiços são intimamente relacionados com orações, que nada mais são do que rituais que consistem de uma petição aos deuses ou divindades (o que quer que a religião ou fé acredite) para um resultado desejado. Ele envolve a visualização de um objetivo, uma declaração de desejo para se atingir, e os movimentos ritualizados de posições corporais (por exemplo, o encurvamento da cabeça, o apertando das mãos, o fechamento dos olhos e etc). Na magia, feitiços são intimamente relacionados a vários métodos de poder da mente, tais como: visualização criativa, pensamento positivo e etc. Tudo o que enfatizar nossas imagens mentais sobre o objetivo e nossa identificação com ele é usado, como: a repetição de nossa intenção de atingir essa meta, projeção de nossa vontade, e uma petição aos espíritos, deuses, ou a força divina para seu auxílio.
Feitiços podem ser benéficos ou prejudiciais e podem ser usados em pessoas, animais e na natureza em geral. Seus fins são ilimitados e incluem: cura, amor, dinheiro, sucesso, fertilidade, longevidade e proteção contra desastre, doença e todo tipo de mal. Eles também podem ser usados para exorcizar fantasmas e espíritos, para a vitória, para alcançar a verdade em alguma questão, para adivinhação, controle do tempo, e a realização de feitos sobrenaturais. Quando dirigida contra os inimigos, os feitiços podem ser utilizados para causar a doença, a destruição, a perda de amor, impotência, esterilidade, fracasso e até mesmo a morte. Feitiços podem ser feitos para afetar a si mesmo, ou direcionado para afetar outra pessoa. Convém agora que eu diga, que existe uma grande responsabilidade sobre nós wiccanos. Se você está ciente disso, muito provavelmente não vai precisar jamais utilizar qualquer feitiço para o mal e ter de sofrer as consequências da lei tríplice duplicada, isso mesmo duplicada! Uma pelo mal que infligiu e outra por quebrar a principal lei da religião a qual você se compromete quando assume fazer parte da religião regida por essa lei. Então cuidado!
Um feitiço positivo é muitas vezes chamado de uma bênção, embora termos como feitiço e encantamento são usados na grande maioria das vezes. Feitiços negativos são geralmente conhecidos como maldições. Um feitiço pode romper com a lei do livre arbitrio unicamente se tiver a intenção de evitar danos muito perigosos, evitar o perigo, ou em casos extremos impedir alguém de realizar atos específicos (por exemplo, assassinato, impedir um estupro, entre outros).
Na maioria das culturas, bruxas, feiticeiros, curandeiros, magos, e outras pessoas com poderes magicamente, lançam feitiços bons e ruins de acordo com os ditames da necessidade. No entanto, no paganismo contemporâneo e na bruxaria moderna, um conjunto de ética existe que proíbe o uso de maldições e feitiços negativos contra outro como expliquei anteriormente.
Muitos tipos de feitiços são comumente usados no dia a dia com a iluminação de uma vela apropriada ao iniciar o ritual. Essas magias diárias constituem os chamados feitiços menores como: bênçãos, feitiços simples de auto-ajuda, pensamentos positivos e o envio de energias curativas para outras pessoas. Esses feitiços menores de uso diário, não são, portanto, necessários de se realizar com um ritual completo num circulo mágico.
Como funciona um feitiço ritual?
Um grande ato de magia requer um ritual e um feitiço realizado dentro de um círculo construído adequadamente. O feitiço consiste em palavras ou encantamentos com gestos entre outros, e o ritual é um conjunto de ações realizadas enquanto as palavras estão sendo ditas. Os antigos egípcios acreditavam que as palavras eram tão poderosos que apenas falar o que queriam faria com eles alcançassem a meta desejada. Palavras e nomes de poder eram vitais para a magia egípcia e tinham que ser pronunciadas corretamente e com a entonação adequada.
Um feitiço ritual levanta poder e energia através de uma combinação de visualização, meditação movimento, corpo, identificação e projeção de vontade. O sucesso de um feitiço repousa sobre a energia e força de vontade levantada, juntamente com a habilidade em que são focados e projetados. Palavras, cantos, músicas e movimentos, objetos, como ferramentas de rituais, efígies, bonecos, cabos e velas, bem como materiais, tais como pergaminho, ervas, óleos e outros tantos podem facilitar o resultado e o andamento dos feitiços devido a atmosfera energética que propiciam.Além é claro da verificação das propriedades planetárias do dia ou da hora em questão.
Em covens muitos feitiços fazem parte das reuniões regulares, embora cada clã ou coven possa usar “técnicas” diferentes. Para começar, o objetivo de um feitiço é indicado e algumas bruxas geralmente o escrevem em um pedaço de pergaminho. O ato de escrever o objetivo enfatiza as técnicas de pensamento positivo e ajuda a fortalecer a força de vontade para atingir a meta. Preparativos para o ritual são feitos como acender velas coloridas ou mistura de ervas e óleos (tudo de acordo com o que se pretende atingir). Cada ação gera energia e uma concentração crescente de poder e vontade em direção ao objetivo.
Em rituais de magia de cura uma boneca de pano pode ser usado para identificar a semelhança com o objeto do feitiço. Para ajudar a semelhança, o boneco pode ser marcado com o nome das pessoas ou signo astrológico, ou mesmo recheado com algo pessoal como uma mecha de cabelo, por exemplo. Uma fotografia da pessoa pode também ser usada. Se uma boneca ou boneco não está sendo usado, então uma imagem mental ou forma de pensamento é criada. Se o feitiço é trabalho em grupo, todos devem concordar sobre a imagem e segurá-la firmemente em suas mentes. A potência da energia é então levantada por vários meios, incluindo: cantar, dançar, dar nós em cordas ou bater palmas. Tambores, chocalhos e a reprodução de música podem também ser usados para aumentar a potência energética.
Bruxas convidam forças superiores para trabalhar com elas na implementação de um feitiço. Na Wicca essas forças superiores são algum aspecto da Deusa ou Deus, juntamente com as forças dos elementos. Outras divindades podem ser chamados cujos aspectos melhor atendem a natureza do feitiço. Por exemplo, para um feitiço de amor Afrodite pode ser invocada.
Durante a realização do ritual, o bruxo deve ter intensa concentração e força de vontade em alcançar a meta, e quando o poder psíquico e energia que está sendo levantada estiver em seu pico no cone de poder, essa energia é então liberada e orientada para a meta, enquanto se visualiza os resultados que estão sendo realizados. Uma vez que o feitiço foi concluído o ritual termina com uma limpeza psíquica para banir e fundamentar quaisquer vestígios de energia psíquica. Isso normalmente é feito com os "bolos e vinho" rituais ou banquete ritual, após o qual as divindades e os elementos são agradecidos pela presença e o círculo é desfeito.